domingo, fevereiro 01, 2009

O ensino superior no Brasil

Abaixo temos a dimensão da demanda do ensino superior no país. Base para tudo o que fazemos é importante. Números fazem com que pensemos parte desta base e abaixo segue um estudo recente (base 2006 para isso é recente, sim) que tratam de números importantes do nosso ensino superior.

É importante considerar que nos últimos anos, o número de inscritos no vestibular saltou de 2.548.077 em 1996, para 5.181.699 em 2006, representando o crescimento de 103,36%.

O crescimento das matrículas em 2006, com relação ao ano de 2005 nas diversas regiões brasileiras, demonstra que algumas regiões brasileiras apresentaram crescimento inferior às demais regiões que tem como principais fatores a saturação do número de IES, socioeconômicos e populacionais. A região centro-oeste, po exemplo, deve seu crescimento à sua extensão territorial e à recente emancipação de novos municípios, oriundos principalmente da expansão do agronegócio como um agente de desenvolvimento regional.

Percentuais de crescimento no número de matrículas, conforme as regiões brasileiras:
  • Região norte: 7,4%
  • Região nordeste: 7,8%
  • Região centro-oeste: 3,2%
  • Região sudeste: 5,6%
  • Região sul: 1,1%

A partir de 1996 ocorreu significativa queda na relação candidatos/vaga nas IES, justificada por diversos fatores quantitativos e qualitativos. Em 1996 a relação era de 4,0 candidatos para cada vaga e em 2006, chegou a 2,0 candidatos para cada vaga no ensino superior oferecido pelas IES brasileiras.

Já a relação ingressos/vagas mantém-se quase que inalterada ao longo destes 10 anos, apresentando de 0,8 candidatos para cada vaga de 1996 a 1999, 0,7 entre 2000 e 2002 e 0,6 entre 2003 e 2006.

A evolução do contingente de egressos, entre os anos de 2000 e 2006, apresentou aumento de mais de 100%, sendo que as IES privadas são responsáveis por um crescimento de mais de 134% e as IES públicas por 57%.

A educação a distância (EaD) é considerada um sucesso no período de 2000 e 2006, fato este, justificado não apenas pela evolução da tecnologia da informação, mas também pela busca e interesse, principalmente da população dos municípios distantes de centros maiores, o que inviabiliza as organizações educacionais em oferecer seus serviços aos interessados em realizar o sonho do ensino superior.


Percentuais qualitativos de crescimento do EaD (período 2000 a 2006):
  • Cursos: 3.380%
  • Vagas: 12.552%
  • Candidatos: 5.277%
  • Ingressantes: 3.914%
  • Matrículas: 12.192%
  • Concluintes: 5.493%
O censo 2006 apresenta as 10 maiores IES brasileiras, segundo o número de matrículas:
  • Unip
  • Estácio
  • Nove de Julho
  • Uniban
  • Universo
  • Unipac
  • Ulbra
  • PUC-MG
  • UCS – Caxias do Sul
  • Mackenzie
Que responderam por:
  • 13,1% das matrículas
  • 10,4% dos cursos
  • 10,8% dos candidatos
  • 17,7% das vagas
  • 18,4% dos ingressos
  • 11,6% dos concluintes
  • 16,9% de ociosidade
Conclusões podem ser obtidas de várias formas; tudo depende do seu ponto de vista.

GC (com fonte da CM Consultoria)

Nenhum comentário:

Postar um comentário